A importância do apoio ao enlutado e dos grupos de apoio

6 minutos para ler

A perda de uma pessoa querida envolve muitos sentimentos e desafios. Por isso, contar com um programa de apoio ao enlutado é importante, já que ajuda a tornar esse momento tão delicado um pouco mais tranquilo. Uma rede de amparo contribui para compreender melhor o processo de despedida e trocar experiências.

O grupo de apoio é destinado a pessoas em situação de luto, com encontros periódicos. Deve-se sempre ter o acompanhamento de um profissional experiente, que ajudará a conduzir a reunião da melhor forma, para trazer acolhimento de maneira acertada quando mais se precisa.

Continue a leitura para entender mais sobre o funcionamento do grupo de apoio ao enlutado e como é possível vivenciar esse momento de forma mais saudável.

Qual é a importância do grupo de apoio?

A reação ao luto é individual, mas compartilhar os sentimentos e ouvir histórias pode ajudar a superar a dor. Segundo a psicóloga clínica e de famílias Ana Lúcia Naletto — co-fundadora do Centro Maiêutica de Psicologia e com 18 anos de experiência no atendimento de famílias em situações diversas, especialmente de luto —, o falecimento de uma pessoa querida gera picos de emoções intensas, como raiva, tristeza, medo e solidão.

Ana Lúcia explica que nesse momento é importante contar com o suporte de outras pessoas. “A rede de apoio pode ser múltipla, indo desde amigos e parentes até profissionais e também outros enlutados, como no caso de frequentar um grupo de apoio ao luto.”

No grupo, a pessoa é acolhida sem julgamentos e sua forma de lidar com a própria dor é respeitada. O acompanhamento profissional também faz muita diferença para compreender os processos que envolvem tal fase e sanar as dúvidas. A psicóloga diz que isso pode ajudar a conduzir um luto mais saudável e evitar doenças ligadas à saúde mental em decorrência da dor da perda.

A oportunidade de falar e também ouvir o outro traz sensações de amparo e conforto. Perceber que mais pessoas vivenciam situações semelhantes ou tiveram processos diferentes ajuda a amenizar a solidão e a aprender mais sobre o luto. Ao trocar experiências, é possível compreender melhor os próprios sentimentos, o que tem efeito terapêutico.

Quando a família participa dos encontros, muitas vezes descobre sentimentos e percepções de alguém muito próximo que até então eram desconhecidos. Assim, trata-se de uma oportunidade de pausa para o reencontro interior e com o outro, com o objetivo de superar esse momento difícil.

Como o grupo deve ser conduzido?

Nos encontros, os assuntos a serem trabalhados podem ser definidos a partir da necessidade do grupo. Como o tema é muito delicado, deve ser conduzido por um profissional que tenha segurança e familiaridade para oferecer apoio ao enlutado. Nesse caso, é possível contar com um psicólogo, assistente social ou capelão.

Vale destacar que o caráter dos encontros é de conversa, troca de experiências, suporte profissional e acolhimento. Assim, o preparo da pessoa que conduz o grupo faz toda a diferença. Para se tornar apto a exercer essa função, é preciso ter uma formação que permita lidar com pessoas e também estudar especificamente o tema do luto.

Ana Lúcia conta que, após a formação em psicologia, participou de um curso de aprimoramento para trabalhar com o luto que durou cerca de dois anos. A psicóloga também estuda constantemente os processos específicos, a exemplo dos óbitos que acontecem durante o período da pandemia e a situação das pessoas que ficam.

O grupo deve oferecer ao participante a chance de falar sobre suas experiências e seus sentimentos, além de poder escutar outras pessoas. Da mesma forma, o direito de permanecer em silêncio precisa ser respeitado, afinal nem todos se sentem à vontade em compartilhar, mas podem receber muito amparo apenas com a escuta.

A psicóloga reforça que a participação deve ser espontânea. Caso algum familiar não queira ir aos encontros, é importante respeitar. Essa pessoa precisa saber que tem a liberdade de ficar em silêncio caso prefira e também pode contar com o suporte do grupo quando se sentir confortável para tanto.

Quais são as opções oferecidas pelo Primaveras?

As atividades realizadas pelo grupo de apoio ao enlutado do Primaveras são gratuitas e abertas ao público. Nelas, são discutidos temas relacionados ao luto e suas expressões. Os encontros são mensais e ocorrem durante todo o ano.

O grupo é conduzido por profissionais experientes no tema e tem a coordenação de um especialista. Ao início do encontro, são feitos alguns combinados para que todos sejam respeitados. São eles:

  • respeitar a dor do outro, mesmo que ela não seja parecida com a sua;
  • não fazer julgamentos ou comparar a dor dos participantes;
  • guardar sigilo daquilo que é falado no grupo, especialmente por se tratar da vida de outras pessoas;
  • não discutir religião.

Pessoas que devem participar e possibilidades de grupos

É muito interessante para pessoas que vivenciaram a perda entre três meses e três anos a participação no grupo, mas nada impede que quem esteja em outros períodos do luto também se beneficie dos encontros.

Ana Lúcia recomenda que não sejam levadas crianças com menos de 11 anos. Para elas, existem oficinas infantis, que são semelhantes ao grupo, porém com atividades mais adequadas para a idade.

Existem grupos que são temáticos, organizados para pessoas que tenham passado por situações semelhantes entre si, e os mistos, que recebem casos diversos. Durante o encontro, também há atividades de homenagem para a pessoa que faleceu, que incluem falar sobre quem era esse ente tão querido que se foi.

Os portões do Primaveras estão sempre abertos, mas às vezes é preciso se adaptar. Por isso, durante o período de isolamento social por conta da pandemia do coronavírus, estão sendo realizados os encontros virtuais, para que as pessoas ainda tenham a oportunidade de se comunicar.

Como vimos, o grupo de apoio ao enlutado é uma maneira de oferecer mais amparo e acolhimento para quem sofre com a perda de uma pessoa amada. O acompanhamento profissional é uma boa alternativa para trazer mais conforto nesse momento delicado.

O Grupo Primaveras conta com diferentes atividades de apoio ao luto, de maneira humanizada e com atendimento especializado. Entre em contato para saber mais.

Posts relacionados

10 thoughts on “A importância do apoio ao enlutado e dos grupos de apoio

  1. bom dia! perdi minha esposa fazem 3 anos, tínhamos 33 anos de casados, ela era tudo pra mim, esta muito difícil mesmo passando 3 anos, apesar que ja estava isolado, ai veio a pandemia e esta praticamente os 3 anos sentido uma dor dilacerante, sem ela, dias tem melhoras dias pioras e como uma montanha russa, parece que dou 3 passos pra frente e dois pra trás e muito difícil mesmo obrigado fiquem com Deus.

    1. Olá Celso, entendo perfeita o que você sente.
      Perdi meu esposo em novembro de 2021. Somando namoro, noivado e casamento foram 35 anos juntos. Tantos planos para nossa vida foram por água a baixo.
      Só quem passa por isso consegue entender tamanha dor.
      Se não fosse pela misericórdia e amor de Deus, não estaria em pé. Sigo a vida vivendo um dia por vez.

  2. Perdi minha vida a dois meses .
    Estou sem chão, a vida está em preto e branco .
    Fazíamos tudo juntos . Ela tinha só 27 anos . Foi tirada da minha vida em um acidente de carro. Tudo muito rápido. Que vazio é esse? O que faço da minha vida? Tudo perdeu a graça.

    1. Olá, Carlos
      Gostaríamos de expressar nossos sinceros sentimentos pelo falecimento do seu ente e nos colocar a inteira disposição para ajudá-lo no que for necessário sempre.
      Aqui no Primaveras, temos em todos os últimos sábados de cada mês nosso Grupo de Apoio ao Enlutado. Eles acontecem presencialmente e de forma on-line.
      Venha e receba através desse evento, acolhimento espiritual e psicológico para sua jornada do luto.
      Esse mês ele acontecerá no dia 29/10 a partir de 09:30hs com uma recepção aqui no Primaveras 1: Av. Otávio de Braga Mesquita, 3535 – Taboão – Guarulhos
      Esperamos sua presença.
      Um forte abraço!
      Grupo Primaveras

    1. Olá, Marcia
      Lamentamos profundamente pela sua perda. Perder alguém próximo é uma experiência extremamente difícil, e é natural sentir uma dor avassaladora. Neste momento, pode ser útil procurar apoio emocional, seja conversando com amigos, familiares ou um profissional de saúde.
      Se você estiver interessada, o Grupo Primaveras oferece um grupo de apoio que pode ser uma fonte valiosa de conforto e compreensão. Através do link: https://www.primaveras.com.br/grupo-de-apoio/ , você pode se cadastrar gratuitamente e participar desse espaço acolhedor. Entendemos o quão difícil é seguir em frente após uma perda tão significativa, e estamos aqui para oferecer nosso suporte.
      Não hesite em buscar ajuda e compartilhar seus sentimentos. A solidão pode voltar a uma jornada ainda mais desafiadora, e o suporte de outras pessoas pode fazer uma diferença significativa.
      Qualquer dúvida, estamos à disposição.
      Grupo Primaveras 💚

Deixe um comentário